Pneunorte
Publicidade
GALPÃO DO ESPORTE
Publicidade
Clinica Andre
Publicidade
ManchetesPOLÍTICA

Esquerda oficializa Marcia ao Governo: “Vou representar a mulher”

A Federação Brasil de Esperança, composta pelo PT, PV e PCdoB, realizou sua convenção na noite desta sexta-feira (5) e oficializou a primeira-dama de Cuiabá, Marcia Pinheiro (PV), candidata ao Governo do Estado. No entanto, a chapa de esquerda segue incompleta sem vice-governador.

Estiveram presentes no evento o prefeito de Cuiabá e marido de Marcia, Emanuel Pinheiro (MDB), a deputada federal Rosa Neide (PT), o deputado federal Neri Geller (PP), que é candidato a senador pelo grupo, deputados e vereadores do PT, PP entre outros. 

Em seu discurso, que durou pouco mais de 14 minutos, Marcia disse que seu mote de campanha será de “gestão humanizada”.  A primeira-dama também prometeu uma  campanha “limpa” e “respeitosa”, levando propostas.

“Vocês sabem da gestão humanizada da qual fazemos parte, precisamos cuidar das pessoas e esse é o nosso propósito. Fazer uma campanha limpa, respeitosa, levando propostas, é isso que o povo quer. Ninguém quer ódio ou briga”, disse.

“Precisamos avançar em programas, em políticas públicas para as pessoas. Cuidar da nossa infraestrutura, do agronegócio, do setor varejista, precisamos estar unidos”, afirmou.

A candidata também voltou a afirmar que será uma voz para as mulheres na política que, segundo ela, tem pouco espaço atualmente. 

“Nós queremos representar as mulheres, cuidar delas, porque lugar de mulher também é na política. As mulheres são 51% da população e os outros 49% são filhos delas. Então, precisamos cuidar das nossas mulheres”, disse.

Até meia-noite desta sexta, a chapa de oposição da federação de esquerda deve estar completa.

Nós queremos representar as mulheres, cuidar delas, porque lugar de mulher também é na política

Campanha atrapalhada

A candidatura da primeira-dama ocorreu às pressas após meses de idas e vindas por parte da federação, que patinou para encontrar uma oposição ao favoritismo do governador Mauro Mendes (União Brasil).

Ainda em maio, o PT tinha aprovado, durante Encontro de Tática, a pré-candidatura do professor da Unemat Domingos Sávio Garcia ao Governo.

Posteriormente, o nome do professor foi deixado de lado pela federação, que começou a investir na ex-reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Maria Lúcia Neder (PCdoB).

Neste mesmo período, Marcia Pinheiro era cotada como uma possível pré-candidata ao Senado, mas nada havia sido oficializado pela federação.

O nome de Maria Lúcia se manteve até começar a aproximação da federação com Neri Geller e com o senador Carlos Fávaro, na intenção de lançar o senador, ex-integrante da chapa de Mendes, para disputar a eleição. A aliança com Neri se firmou, mas Fávaro não quis se comprometer na campanha ao Governo.

Em meio a articulações de Emanuel, junto a Fávaro e Neri, Mária Lúcia foi tirada de jogo e anunciou uma desistência.

Tão logo ela confirmou o recuo, o prefeito anunciou que a primeira-dama para “assumir o desafio” e disputar o Palácio Paiaguás.

Nos bastidores, o anúncio foi visto com desconfiança, já que o prefeito havia “lançado” pelo menos outros quatro nomes nos últimos meses.

No entanto, um dia antes do último prazo para oficializar os candidatos que irão disputar o pleito de outubro a confirmação veio e Marcia se tornou a candidata da federação ao Governo.

Fonte
VITÓRIA GOMES E CÍNTIA BORGES - Midianews
Contal interno

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Com muito ❤ por go7.site
English EN Portuguese PT Spanish ES
Skip to content