Pneunorte
Publicidade
Mercado União 385
Publicidade
Clinica Andre
Publicidade
CIDADES

Por vício de iniciativa TJMT declara inconstitucional lei de Guarantã

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso consideraram inconstitucional a Lei Municipal n. 1.615/2017, de Guarantã do Norte, que concedia verba indenizatória aos professores que trabalham na zona rural. A lei foi proposta pela Câmara e continha vício de iniciativa, uma vez que tratava de aumento de despesas públicas, uma prerrogativa do Poder Executivo.
 
Segundo o entendimento do relator, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, não há dúvida que a Câmara Municipal criou despesa para o ente Público Municipal. “Onerando-o diretamente, contudo, sem observar as exigências legais. Desse modo, é de clareza solar que a Câmara Municipal de Guarantã do Norte extrapolou a sua competência legislativa, uma vez que todas as leis que disponham sobre matéria orçamentária e servidores públicos é de competência exclusiva do chefe do Poder Executivo”, ponderou em seu voto seguido pelos demais desembargadores em julgamento realizado pelo Órgão Especial.
 
Conforme consta no processo, a lei demandava ao Poder Executivo o pagamento de uma ajuda de custo aos trabalhadores da educação da rede pública com atuação na zona rural. Por gerar despesa à prefeitura, a lei padece do vício de iniciativa, por tratar de matéria reservada exclusivamente ao chefe do Poder Executivo Municipal. “Posto isso, julgo procedente a ação, para declarar a inconstitucionalidade da Lei Municipal n. 1.615/2017, publicada em 06.09.2017, do Município de Guarantã do Norte, com efeito ex tunc (retroativo), por afronta ao disposto nos artigos 194 e 195 com artigos. 39, parágrafo único, inc. II, ‘a’ e ‘b’ e 40, inc. I, todos da Constituição Estadual”, pontuou o magistrado.
 
Veja mais informações do processo AQUI
Viveiro interno

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Com muito ❤ por go7.site
English EN Portuguese PT Spanish ES
Skip to content