segunda-feira, 15 julho, 2024
InícioCIDADESCom proposta inovadora, o Dia na Floresta foi um sucesso

Com proposta inovadora, o Dia na Floresta foi um sucesso

Os dias 20 e 21 de junho entrarão para a história do setor de base florestal de Mato Grosso. Foi nesta data que Alta Floresta recebeu, pelo segundo ano consecutivo, mais uma edição do Dia na Floresta, que em 2024, chega à sua quinta edição, que foi realizado na Fazenda Vaca Branca.

Na prática, o Dia na Floresta tem como objetivo mostrar aos participantes como o setor de base florestal consegue, de forma eficiente, conciliar conservação ambiental, com a geração de emprego e renda, e respeitando a legislação ambiental.

Foto: Assessoria

Neste ano, o Dia na Floresta recebeu autoridades de várias regiões de Mato Grosso e do Brasil. Entidades e órgãos como o Ministério do Meio Ambiente, Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Polícia Federal, Polícia Judiciária Civil, Polícia Militar, Ministério Público do Trabalho, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA/MT), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDEC/MT), Conselho Nacional De Meio Ambiente (CONAMA), dentre outros, estiveram presentes.

Participante do evento, a representante do Conselho Nacional de Meio Ambiente pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Patrícia Boson, destaca que o setor de base florestal de Mato Grosso se tornou um exemplo para o Brasil. “Mato Grosso está de parabéns pelo trabalho. Que essa iniciativa possa servir de exemplo”, reconhece.

Ainda segundo Patrícia, o setor de base florestal mostra a importância de manter a floresta em pé. “É a questão de colocar valor na árvore em pé, e assim a gente pode conservar a floresta. O manejo é uma ferramenta excelente”, parabeniza.

Foto: Assessoria

Patrícia argumenta que o setor de transporte, assim como o de base florestal, são importantes para o Brasil. Ela pontua que, enquanto representante da CNT, é muito gratificante saber que esses dois segmentos econômicos orgulham os brasileiros.

A secretária de Estado de Meio Ambiente (SEMA/MT), Mauren Lazzaretti, destaca que hoje o setor florestal de Mato Grosso é referência mundial em sustentabilidade. “Aqui nós vimos que é possível aliar produção com sustentabilidade. O manejo florestal é uma iniciativa que permite explorar a floresta, agregando valor ao produto e manter a floresta em pé”.

Mauren pontua que o setor de base florestal de Mato Grosso desenvolve um exemplar, e isso evidencia que os empresários estão caminhando junto com a SEMA, sendo assim, essa parceria que une o setor produtivo e o órgão ambiental é fundamental para que seja possível estabelecer políticas públicas que garantam o empreendedorismo do setor. “Temos trabalhado de forma conjunta, e o resultado está aqui”, pontua.

Outro player importante dentro deste processo do manejo florestal sustentável é o Sistema FIEMT. “É um momento histórico. Estamos aqui para apoiar esse setor, que gera emprego e renda. Os participantes tiveram a oportunidade de vivenciar um plano de manejo na prática, e isso é de um valor incalculável”, pontua Sílvio Rangel.

Rangel destaca ainda que o setor de base florestal de Mato Grosso está presente em 60 municípios. E, segundo ele, além da conservação da floresta e da aplicação de técnicas científicas, contribui com o pagamento de impostos para o Estado.

O presidente do Simenorte e CipemMT, Ednei Blasius, explica que as autoridades, depois de participarem do Dia na Floresta, terão outra visão do setor. “Tudo foi explicado de uma forma clara, em cada etapa. Também visitamos uma área que já foi explorada e outra intacta. A floresta tem uma grande capacidade de regeneração”, disse.

Durante o Dia na Floresta, além das palestras, também visitamos uma área de manejo, onde os participaram receberam informações sobre como é feito o levantamento florestal, a classificação e a separação das árvores comerciais, porta sementes, remanescentes, além das árvores que já cumprida seu ciclo de vida, e claro, esclareceram suas dúvidas.

“O plano de manejo é um mecanismo eficiente, que, além de fomentar a economia através da geração de empregos diretos e indiretos, também conserva a floresta”, disse Blasius. Segundo levantamento do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (CIPEM/MT), o segmento é responsável por gerar mais de 12 mil empregos diretos, sendo, inclusive, a principal atividade econômica de algumas cidades do Estado.

Participe do nosso grupo de Whatsapp

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais popular

Feito com muito 💜 por go7.com.br
Pular para o conteúdo