Pneunorte
Publicidade
Mercado União 385
Publicidade
Clinica Andre
Publicidade
DestaquePOLÍCIA

Polícia Federal deflagra operação contra desmatamento em terra indígena em Peixoto de Azevedo

Segundo as investigações, madeireiros estariam aliciando lideranças indígenas para a retirada da madeira de forma ilegal

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (12/4) a Operação Escudo de Palha para investigar o desmatamento ilegal na terra indígena Menkragnoti, nas proximidades da aldeira Kotori, no município de Peixoto de Azevedo/MT. A ação faz parte do programa Guardiões do Bioma*.

Foram cumpridos 6 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Sinop/MT, nas cidades de Matupá, Guarantã do Norte e Peixoto de Azevedo, no Estado de Mato Grosso, além da cidade de Iporá/GO.

A investigação teve início em fevereiro de 2022, após denúncia recebida pela FUNAI de Cuiabá/MT, relacionada à extração ilegal de madeira na terra indígena. Segundo a denúncia, nas proximidades da aldeia, havia cerca de dois mil metros cúbicos de madeiras cortadas e prontas para serem retiradas. Ainda, que os madeireiros da cidade de Peixoto de Azevedo/MT teriam cooptado as lideranças indígenas da aldeia Kororoti, ofertando cerca de R$ 70 mil para a retirada dessa madeira.

Com base na denúncia, no mesmo mês, foi realizada uma ação conjunta entre Polícia Federal, SEMA, IBAMA e DEMA que se deslocaram até o local e detectaram, após sobrevoo de helicóptero, o desmatamento e a existência de madeiras cortadas.

Na ocasião, dentro da Terra Indígena e nos seus arredores, foram realizadas apreensões de arma e veículos pelo IBAMA. Devido às condições de conservação dos veículos, associado ao fato dos locais em que foram encontrados serem de difícil acesso e com a finalidade de cessar o crime ambiental, os mesmos foram inutilizados.

Os mandados cumpridos desta terça-feira têm foco nos possíveis participantes dos crimes, dentre eles madeireiros e uma liderança indígena.
Os investigados podem responder pelos crimes ambientais de desmatamento e óbice a ação fiscalizadora do Poder Público, com penas de até 4 anos de reclusão e 3 anos de detenção, respectivamente, e associação criminosa, com pena de até 3 anos de reclusão, dentre outros crimes.

O nome da operação, Escudo de Palha, é decorrente da aparente proteção que os indígenas locais empreendiam em favor da floresta, quando na verdade a proteção era facilmente sobrepujada por suborno em favor de liderança local.

Fonte
Assessoria PF
Viveiro interno

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Com muito ❤ por go7.site
English EN Portuguese PT Spanish ES
Skip to content